terça-feira, 4 de agosto de 2009


… Mãe, como é bom rezar diante da tua doce imagem !
Quando estou de joelhos, olhos fixos em ti,
Tu me falas e eu ouço a tua suave linguagem,
Pois, sinto que estou a chorar
sem saber por quê…

E no entanto, sou feliz… Quando digo: Eu te amo,
Quando o meu olhar procura e encontra o teu,
Através do vitral, no momento em que a lua pálida,
Com sua luz baça, lívida, a nós dois ilumina;

Quando, ao longe, tudo adormece nos braços da natureza sombria
E o silêncio desce, ensombrado,
Minha alma, então, se eleva a ti tranqüila, pura
E eu sinto que a felicidade docemente me invade.

Mãe, quando a minha última noite chegar, semelhante à corola
Que se inclina sobre ti, esta noite, em teu altar,
Ó! Desejo voltar o meu olhar para a tua doce auréola,
E adormecer… adormecer… em teu seio maternal. a todos uma noite de muitas graças

Nenhum comentário:

Postar um comentário